43 dicas para um mochilão barato e sem perrengue

Joanna Nômade Digital

Aeroporto

1. Compre frascos de 100 ml para levar líquidos como shampoo, condicionador e perfume no avião.

2. Você pode dormir em alguns aeroportos, mas não são todos em que isso é permitido. Há um site em que você pode verificar as condições de cada um.

3. Ficar na fila para entrar no avião é um saco, mas te permite colocar sua bagagem de mão no compartimento com mais facilidade e pode te salvar de pagar excesso de peso por não caber quando já está cheio.

4. Fazer o check in com antecedência não significa que você pode chegar ao aeroporto na hora do voo. Aeroportos de cidades grandes são enormes e, algumas vezes, você precisa pegar um ônibus para ir de um terminal a outro.

Passagem

5. Ao fazer uma viagem longa, verifique rotas aéreas alternativas. Muitas vezes, a forma mais barata de se deslocar é comprando passagens separadas em vez das opções disponibilizadas pelas companhias aéreas. Por exemplo, se você quer fazer um mochilão barato pela Europa, a melhor opção costuma ser comprar uma passagem para qualquer país da Europa e, de lá, comprar outra passagem low cost.

6. Aproveite os stopovers e veja se é uma opção viável em sua viagem. Se vou do Brasil para a China com escala na França, por que não aproveitar uns dias em Paris no caminho sem pagar a mais por isso em vez de passar apenas algumas horas no aeroporto da conexão?

7. Se você viaja com frequência, experimente utilizar VPN. Uma mesma passagem tem valores diferentes em cada país que for comprada. Por exemplo, se eu precisar comprar uma passagem de São Paulo para Madrid, ela custará um preço se eu comprar do Brasil, outro valor se eu estiver na Austrália, e outro se a compra for de Portugal. Com o VPN é possível logar como se você estivesse em qualquer lugar do mundo. Faça testes e verifique qual valor sai mais em conta.

Mochila

8. Tenha uma toalha de microfibra. Ela é barata, seca rápido e ocupa um espaço mínimo na mala.

9. Não deixe sua mochila pesar mais do que 10% do seu peso.

10. O maior tamanho de um mochilão para ser considerado bagagem de mão é 50 litros. Mesmo assim, se ele estiver lotado, é difícil caber no espaço disponível. O ideal é o de 40 litros.

11. Para escolher o mochilão, observe se é possível trancá-lo e quantas aberturas há nele, para ser fácil retirar seus pertences.

12. A grande maioria dos hostels permite que você deixe o mochilão lá até a hora do check in. Aproveite, pois passear com mochila pesada nas costas não é agradável.

Hospedagem

13. Fazer couchsurfing não é apenas economizar em hospedagem, mas também uma oportunidade de mergulhar na cultura local e ter uma experiência mais completa da viagem.

14. Priorize hostels bem localizados. A economia feita em uma hospedagem mais longe representa, muitas vezes, gastos com transporte. Não vale a pena.

15. Escolha hostels que instigam interação social. Conhecer pessoas faz parte da experiência da viagem. Muitas vezes, é a melhor parte.

16. Se você tiver tempo, experimente fazer voluntariado trocando hospedagem por trabalho. A Worldpackers e a Workaway são as plataformas mais conhecidas para isso.

Transporte

17. Tire print de suas passagens ou baixe os PDFs com antecedência. Nunca sabemos quando a internet irá nos abandonar.

18. Quando possível, viaje em ônibus noturnos. Você economiza uma diária de hospedagem, o que ajuda a tornar o seu mochilão barato, e ainda não perde tempo de passeio no transporte.

19. Se você for pegar carona, procure ficar perto de acostamentos e de quebra-molas, em que os motoristas já terão que reduzir a velocidade.

20. Se você é mulher e pega carona, não faça plaquinhas com o seu destino. Espere o carro parar e pergunte onde ele vai. Se você não sentir segurança, fale que seu destino é outro e agradeça.

Dinheiro

21. Se seu mochilão for uma viagem longa, leve dois cartões de crédito internacionais. Se um cartão for clonado, você não vai querer a burocracia de conseguir um novo.

22. Não deixe todo seu dinheiro no mesmo lugar. Se você for roubado, não ficará zerado.

Passeios

23. Caminhe pelos lugares. Andar, além de ser grátis, é uma das melhores formas de conhecer cidades. Se perca pelas ruas e as explore como um local.

24. Aproveite o free walking tour, a maioria das grandes cidades oferece.

25. Planejar diminui a ansiedade e te faz economizar para um mochilão barato, mas também se permita visitar aquelas cidades que você nunca ouviu falar e conheceu pelo caminho.

Saúde

26. Verifique a franquia de saúde do seguro viagem antes de contratá-lo. Se você nem sabe o que é isso, já faça suas pesquisas. Você não vai querer ser surpreendido ao descobrir que não receberá reembolso pela consulta de emergência que precisou.

27. Se você toma remédios, mantenha uma receita com você para se prevenir de problemas nos aeroportos.

28. Anote o número do seguro saúde em seu celular ou em um papel com fácil acesso. A gente acha que não vai precisar dele, mas geralmente é necessário em emergências.

29. Use camisinha. Você não conhece a cultura nem os índices de DST dos países dos viajantes que você encontra pelo caminho. Se previna.

30. Tenha uma garrafa de água sempre com você. É nosso bem mais precioso.

Burocracia

31. Verifique se é necessário visto e a forma de fazê-lo. Como brasileiros, na maioria dos casos conseguimos retirar o visto na própria fronteira ou anteriormente de forma online.

32. Se for passar por imigração, tenha os documentos exigidos em fácil acesso e diga apenas o necessário. Falar demais passa nervosismo.

33. Verifique com antecedência as vacinas necessárias para entrar no país.

Cultura

34. Aprenda frases simples da língua local, como “bom dia”, “obrigado” e “por favor”. As pessoas valorizam quem se interessa por sua cultura e costumam ser mais solícitas e gentis.

35. Pesquise a cultura local e procure seguir seus costumes, principalmente em relação às roupas. Isso é uma questão de segurança, prevenção e respeito.

36. Cozinhe no hostel para economizar, mas também prove a comida local. A gastronomia também é uma forma de conhecer o país e sua cultura.

Dicas Gerais

37. Verifique a tomada do país que você vai visitar e ande com um adaptador.

38. Verifique a disponibilidade de Wifi nas cidades que você vai conhecer. Comprar um chip internacional, às vezes, pode ser uma boa ideia.

39. Antes da viagem começar, baixe os mapas do lugar para acessá-los de forma offline e, então, evitar de se perder futuramente.

40. Baixe em seu celular os aplicativos amigos dos viajantes que buscam um mochilão barato, como blablacar, skyscanner, maps.me e couchsurfing.

41. Aproveite os grupos de Facebook. Porque há brasileiros por toda parte do mundo dispostos a te ajudar com dicas e, muitas vezes, hospedagem.

42. Viajar sozinho é uma excelente maneira de aprender outras línguas enquanto viaja pois você é mais aberto a conversar com outras pessoas. Além disso, fazer couchsurfing também ajuda nesse processo, porque você fica na casa da pessoa e a língua em comum, geralmente, é o inglês. Mas varia de acordo com o destino.

43. Viajar em baixa temporada gera uma boa economia e te permite um mochilão barato, mas verifique também o clima do seu destino na data desejada e se há uma melhor época para visitá-lo.

6 comentários em “43 dicas para um mochilão barato e sem perrengue”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *