11 experiências que vivi ao morar em Portugal com 21 anos

Gerês em Portugal

Tive a oportunidade de morar em Portugal por seis meses quando eu tinha 21 anos. Agora vou contar algumas experiências que tive por lá, nem todas positivas.

Assim, se você também quiser morar em Portugal, veja um pouco das minhas impressões e vivências.

E se você já estiver no país, me conta se também passou por essas experiências e o que mais te marcou por morar em Portugal.

1. Cruzei o país inteiro em 12 horas

Eu morava em Bragança, no extremo norte do país. Mal havia chegado em Portugal e logo comprei uma passagem para Faro, no extremo sul.

Então, fiquei chocada em perceber que cruzaria o país inteiro em apenas 12 horas. E tive a real noção do quanto o Brasil realmente tem dimensões continentais.

2. Passei uma semana sem entender a língua portuguesa

Para a minha surpresa, eu não entendia nada do que os portugueses falavam. Achava que isso nem seria um problema já que a língua é a mesma. Mas o sotaque, as palavras com significados diferentes e a maneira rápida de falar me deixaram completamente perdida.

Demorei, pelo menos, uma semana para me adaptar ao português de Portugal e percebi que muita gente também passava por isso.

Quando minha mãe foi me visitar, fizemos uma Eurotrip por vários países. Quando chegamos a Portugal, ela estava toda feliz que finalmente iria entender o que as pessoas falavam e poderia se comunicar. Então foi alugar um carro direto no aeroporto e, frustrada, me chamou para ajudar porque não entendia nada.

É assim mesmo. Mas, aos poucos a gente se acostuma e, sem perceber, até já consegue imitar o sotaque.

3. Conheci muitos africanos e aprendi suas danças

Há muitos países na África de língua portuguesa, como Cabo Verde, Moçambique e Angola. Assim, também encontrei muitos africanos em Portugal fazendo intercâmbio por lá, ou mesmo já morando há algum tempo.

E isso me mostrou um lado do continente que eu ainda não conhecia muito: a diversidade de danças e músicas. E como os africanos dançam bem! Fiquei encantada com aqueles ritmos e aprendi muitos movimentos diferentes com eles.

Até hoje sei a letra de várias músicas de cabeça e, se ouço tocar, não consigo parar de dançar.

4. Bebi vinho do Porto e fiquei bêbada com uma taça

O vinho do Porto é muito famoso pelo alto teor alcoólico que ele apresenta, perto de 20%. Além disso, outra característica marcante é o quanto este vinho é doce. Ele deve ser bebido de forma bastante moderada, apenas para experimentar pratos ou brindar com os amigos.

Mas, como eu estava animada, fui logo bebendo uma taça inteira. Não demorou para eu perceber que estava bastante bêbada e aprendi minha lição: vinho do Porto é um golinho de cada vez e em pouca quantidade.

5. Reclamei (e muito) dos médicos

Nem todas as minhas experiências foram boas. Quando fui morar em Portugal, tive acesso aos sistema de saúde deles. Não gosto de generalizar, até porque, vivi apenas em uma cidade. Mas, senti que os médicos não se importam com os pacientes, fazem consultas rápidas e sem humanização.

E conversei com outros brasileiros que me passaram o mesmo sentimento. Espero ter sido coincidência e que você tenha experiências melhores se quiser morar em Portugal.

6. Experimentei os pratos mais diferentes e gostosos da minha vida

Sempre fui conhecida por ser chata para comer. Mas Portugal virou este meu estereótipo de cabeça para baixo! São tantos pratos diferentes e maravilhosos que é impossível não se apaixonar pelo aroma e sabor português.

Dou um destaque especial para a Francesinha, que logo me conquistou e é o prato que mais sinto saudade. Também amei experimentar as diversas formas de fazer bacalhau, principalmente regado a batata.

7. Conheci pessoas incríveis fazendo o Caminho de Santiago Português

Eu sou fã do Caminho de Santiago e fiz o português começando da cidade Viana do Castelo. A experiência foi incrível! Primeiramente, conheci lugares maravilhosos e pouco conhecidos do norte português, como as cidades Vila Praia de Âncora, Caminha e Valença.

Caminho de Santiago Português
Caminho de Santiago Português

Mas o melhor de tudo foram as pessoas, do mundo inteiro. Fiz amizades que mantenho até hoje. Caminhei com poloneses, egípcios, espanhóis, chineses. Aprendi sobre culturas diferentes e me surpreendi com formas de viver totalmente fora da minha bolha.

Se você quiser saber mais sobre esta experiência, leia também o meu texto sobre o Caminho de Santiago Português.

8. Entendi a razão de portugueses tomarem menos banho e parei de zoar os europeus

No Brasil, eu sempre tinha escutado que europeu não tomava banho e, às vezes, fedia. Primeiramente, isso não é verdade. Eles são bastante higiênicos e, em geral, até mais vaidosos do que a gente, principalmente os homens.

Mas, o que me explicaram assim que eu cheguei em Portugal, é que o sistema de água funciona bem diferente de como é no Brasil. A água em Portugal é bastante cara. Assim, as pessoas não desperdiçam este recurso e são rápidas no banho.

Além disso, o país é frio, principalmente as cidades do norte, como a que eu morei. Por isso, não há necessidade de as pessoas tomarem vários banhos por dia.

9. Me apaixonei pelas praias do litoral e pelos parques nacionais

Antes de morar em Portugal, eu não tinha ideia do quanto o país é bonito. Conheci várias praias e parques que nunca nem tinha ouvido falar. Isso foi uma surpresa maravilhosa e me fez explorar bastante o país. Mesmo quando eu não morava mais em Portugal, sempre voltava para lá para conhecer outro lugar que ficou faltando da minha lista.

Primeiramente, não posso deixar de citar as praias de Algarve, principalmente a Praia da Marinha, a minha preferida. Mas também me apaixonei pelo Arquipélago das Berlengas, pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês e pelas praias cristalinas do Parque Natural da Arrabidá.

Praia da Marinha no Algarve
Praia da Marinha, Lagoa – Algarve

Além disso, também me encantei com tantos castelos, catedrais e todo charme português. Então vale muito a pena visitar este país incrível que não perde para outros destinos da Europa.

10. Ouvi dos portugueses o quanto brasileiras são diferentes por não se importarem com o que os outros pensam

Já que eu estava em Portugal, por que não sair com alguns portugueses e conhecê-los melhor, não é verdade? Achei bastante curioso que eles sempre me diziam a mesma coisa: o quanto se impressionavam com a autenticidade das brasileiras.

Eles me contaram que existem alguns rituais em Portugal que as mulheres seguem à risca. E não agem de outra forma porque se preocupam muito com o que as pessoas vão pensar.

Para dar um exemplo, fui a um restaurante do estilo buffet, em que se pode comer à vontade. O português que estava comigo não parava de rir porque eu toda hora levantava para pegar outro prato. Ele disse que as portuguesas nunca fazem isso para não darem a impressão de que comem demais.

Eu que não iria perder a oportunidade de comer gostoso.

11. Recebi olhares de desprezo das portuguesas

Eu achava que isso era mentira, mas realmente acontece, principalmente entre pessoas jovens. Percebi que muitas portuguesas não gostam de brasileiras e até rola um certo preconceito.

Já me disseram que isso acontece porque, antigamente, muitas brasileiras foram para Portugal viver da prostituição. E, por isso, até hoje as portuguesas têm a impressão de que as brasileiras vão roubar os seus homens. E isso se intensifica ainda mais quando elas veem a nossa forma de dançar. Mas não vamos mudar por causa disso, né?

Quero reforçar que isso não é uma generalização. Fiz amigas portuguesas e adoro a população de lá. Apenas estou contando algumas situações que ainda existem.


E você, já passou por experiências parecidas em Portugal ou tem outras vivências interessantes de serem compartilhadas? Conta para mim porque adorarei debater sobre este país que tanto amo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *